MadeinWeb

MadeinWeb

Leitura: 7 minutos

A tecnologia está presente no cotidiano de milhões de pessoas ao redor do mundo, desde que acordamos, até a hora de dormir. Carregamos nosso aparelho celular para todos os lugares e estamos a todo momento verificando e-mails, atualizando nosso feed e trocando mensagens com pessoas que estão a quilômetros de distância. 

O mundo está em constante evolução e, se prestarmos atenção à nossa volta, a maneira como se faziam as propagandas em jornais, revistas, panfletos e rádios já não são mais tão comuns. O mundo mudou e a maneira de fazer marketing também.

Estamos vivendo uma nova era, na qual as pessoas não querem mais ser abordadas com publicidade de vendas, principalmente quando não têm o menor interesse pelo produto oferecido.

O Inbound Marketing surgiu justamente para mudar a forma de se fazer publicidade. Visando mais soluções e menos investimento, ele se tornou uma técnica forte para atrair clientes e consumidores através do marketing de conteúdo, sem impor publicidades que podem sujar a credibilidade e a imagem de uma empresa. 

Entretanto, as empresas conseguem uma divulgação significativa a partir do interesse pessoal do cliente, que muitas vezes irá permitir que o mesmo receba conteúdos específicos que vão ajudá-lo na tomada de decisão para adquirir um produto ou serviço. Acompanhe para saber mais! 

 

Para que serve o Inbound Marketing? 

A cada dia que passa, fica mais tênue a diferença entre o offline e online. Não se diz mais “entrar na internet”, pois a internet já está presente em praticamente todos os lugares. A tecnologia está em constante evolução e a forma de se fazer marketing também precisa estar. 

Milhões de empresas do mundo todo já usam as estratégias do Inbound para trazer excelentes resultados, isso porque o conceito do Inbound Marketing gira em torno da ideia de que as pessoas podem receber um conteúdo de qualidade ao invés de serem bombardeadas com informações irrelevantes. 

O Inbound Marketing alcançou patamares que o marketing tradicional jamais conseguiu. O principal deles é que, no Inbound Marketing, a área de marketing da empresa é um centro de investimento e não necessariamente um centro de custo.

O motivo para a afirmação citada é que todas as ações de Inbound Marketing podem ser facilmente mensuradas. É possível saber a quantidade de pessoas que visualizaram, converteram ou até mesmo as que compraram por meio de ferramentas de web analytics. 

Tendo o conhecimento dessas informações, é possível otimizar as campanhas para ter um melhor ROI (retorno sobre investimento).

É por essa e outras razões inovadoras que o mercado está comprando a ideia de aderir à metodologia do Inbound Marketing, principalmente porque é 62% mais barato que o Outbound Marketing — ou Marketing Convencional — que nos acostumamos a fazer.

Estratégias de Inbound Marketing

A metodologia do Inbound Marketing visa uma sequência lógica de etapas. Todas as estratégias de marketing devem passar pelas seguintes fases de funil de vendas: Atrair, Converter, Relacionar, Vender e Encantar.

1.Atrair

Um site sem visitas não gera leads. Sem os leads não há vendas e, consequentemente, perde-se toda a razão para se trabalhar com essa metodologia. Nessa primeira etapa do Inbound Marketing, estão todas as pessoas do mundo, pessoas que ainda não conhecem sua empresa ou, no máximo, já ouviram falar. 

Essa etapa é simples: o conteúdo é fundamental, ou seja, ao invés de gastar energia procurando pessoas que possam se interessar por seu negócio/mercado, gasta-se energia na construção de um conteúdo relevante para reter atenção e, por consequência, atrair pessoas que se interessaram no assunto por espontânea vontade.

A primeira técnica se trata de segmentação. Precisamos da visita de pessoas que estão de fato mais propensas a consumir seu produto ou serviço em curto, médio ou longo prazo. E é por isso que nesse momento entra o conceito de persona.

Uma persona é um personagem semi fictício que define o cliente ideal da sua marca. Com uma persona definida, você consegue produzir conteúdo que se direciona para essa pessoa — de acordo com seus desejos, necessidades e buscas no Google.

Como a intenção nesta etapa é ajudar essas pessoas a identificar e resolver um problema – entregando algo divertido, útil e relevante – ao oferecer um conteúdo direcionado, você estará falando com quem de fato quer falar. Para isso, usa-se:

Post Blog

Ele é a principal estratégia de Inbound Marketing. O blog é essencial para a produção de conteúdos realmente relevantes. Nessa primeira fase, o blog deve abordar as “dores” dos visitantes e mostrar soluções para eles. Por isso a importância de ter uma persona pré-definida para saber como deve se comunicar.

Mídias Sociais

Elas são essenciais para a afirmação da marca no mundo digital e ainda têm a chance de viralizar o seu conteúdo. Além disso, uma marca que está presente nas redes sociais ativamente, fazendo perguntas e respondendo seus clientes, pode ser considerada parte do SAC 2.0.

SEO

Sigla para “Search Engine Optimization”, que significa “otimização para mecanismos de busca”. Você provavelmente já deve conhecer bem.

O SEO é necessário para que o seu site ganhe visibilidade. Ele nada mais é do que a otimização do conteúdo e páginas de acordo com o que pedem os mecanismos de busca. Com ele, é possível aparecer nas primeiras páginas do Google.

Site

Seu site merece um cuidado especial na fase da atração, ou seja, o site precisa realmente falar com seus potenciais compradores. Por isso, é essencial que você faça com que sua plataforma seja uma fonte valiosa de conteúdo, e lembre-se: é muito importante pensar em todos os detalhes, principalmente na experiência do usuário.

2.Converter

Depois de atrair o público até o seu site, é preciso transformar os visitantes em leads (potenciais clientes). Para serem leads que a marca possa trabalhar, esses visitantes precisam fazer um cadastro no qual deixam pelo menos o seu nome e e-mail.

Embora pareça fácil, essa não é uma das missões mais simples. Para conseguir o contato desse visitante é preciso oferecer algo em troca, ou seja, material de qualidade e-books, infográficos, testes, webinars ou qualquer outro material de que “valha a pena” a troca.

Lembrando que não é a hora de oferecer um produto. Em outras palavras: seu visitante deve aprender algo quando terminar de ler o seu material. Por isso a importância dessas informações serem valiosas e completas, uma vez que a internet já tem muito do mesmo.  Após isso, para concluir a etapa de conversão, é preciso:

CTAs

Call-to-action são “botões” e podem ser traduzidas como “chamadas para a ação”. Elas devem ficar espalhadas pelo site chamando o visitante a realizar uma conversão (entrar em contato, baixar algum tipo de material, etc). 

Quando o visitante clica nesses botões, ele se direciona para a Landing Page, que é a página onde ele fornecerá os dados necessários através de um formulário.

Landings Pages

Para aumentar a taxa de conversão, a Landing Page deve ser igualmente atraente ao CTA. Além disso, o visitante que clicou na CTA deve encontrar na Landing Page realmente o que estava procurando. 

No texto, é importante mostrar que a “dor” desse visitante pode ser curada após aquela conversão. Assim, ao preencher o formulário em uma Landing Page pela primeira vez, esse visitante se torna um lead.

Formulários

O formulário é o meio por onde os visitantes fornecerão suas informações para a marca. Ele deve ser simples e não pedir informações muito pessoais no primeiro contato. Lembre-se que para começar o caminho de convencimento desse cliente em potencial a informação básica que você precisa é o e-mail.

Otimize seu formulário para tornar este passo do processo de conversão o mais fácil possível. E fique tranquilo, com o tempo, é possível aumentar as informações acerca daquele contato conforme sua jornada de compra.

3.Fechar

Quando seus visitantes confiam em você dando-lhe informações pessoais, eles estão passando um singelo recado: eles querem saber mais. Por isso, é preciso continuar alimentando a comunicação com seus leads com o uso de conteúdo útil e relevante para eles.

Esta etapa é justamente para isso: reconhecer os leads da segunda fase e transformá-los em clientes e é possível traçar esse caminho usando algumas técnicas e ferramentas nos momentos certos. Elas incluem:

E-mail Marketing

Muitas vezes uma pessoa que baixou o seu conteúdo e virou um lead ainda não está pronta para comprar o produto ou serviço oferecido. Por isso, o email marketing é importante para nutrir os leads até o desejo da compra e o fechamento.

Os e-mails que serão encaminhados para eles serão, então, úteis para suas necessidades e construirão uma relação de proximidade e confiança com a marca.

Automação de Marketing

É uma ferramenta muito importante na fase final do Inbound Marketing. Com ela é possível criar fluxos automáticos de e-mails para cada uma das pessoas que convertem em seu site de forma rápida e eficaz.

Ela ajuda a preparar o lead a adquirir um serviço e deixá-lo muito mais interessado do que ele estava no momento em que baixou seu primeiro material.

Workflow (Automação de Marketing)

Bom, suponhamos que você baixou um e-book hoje no meu site. Daqui alguns dias, você receberá um e-mail com algum complemento daquele material ou com algum conteúdo que poderá ser útil para você.

Depois de uma semana, você receberá outro e-mail com uma cortesia de material para desfrutar (algum e-book ou infográfico). Esse fluxo irá continuar até um ponto onde eu falo para você entrar em contato comigo caso queira saber mais.

Conseguiu converter seus leads em clientes? Acredite, a metodologia Inbound não para por aí. Após a conversão, é hora de transformá-lo em um promotor da sua marca, que é a etapa final.

4. Encantar

Não se deve abandonar a  pessoa por ela já ter comprado o seu produto ou serviço. Pelo contrário – a fase de encantamento é a que te trará mais lucro.

O “marketing boca a boca” sempre foi e sempre será muito forte. Por isso é essencial que os seus clientes se tornem, após a compra, promotores orgânicos da marca. Isso significa que eles irão falar bem da marca e trazer ainda mais clientes até a sua empresa!

As ferramentas necessárias para encantar os clientes incluem:

E-mails Marketing

O fluxo de e-mail marketing nessa fase se torna ainda mais pessoal. Neste caso, é legal enviar mais artigos com dicas do pós-compra, por exemplo: “como usar”, “como manter”, “quais cuidados são necessários”, “novidades”, entre outros.

Acredite, direcionar conteúdo de alta qualidade para os clientes fiéis vai ajudá-lo a alcançar grandes resultados, até mesmo na introdução de novos produtos e recursos que sejam do interesse deles.

Pesquisas

Além de você conseguir várias informações sobre atendimento e processo de vendas com ele, você ainda vai mostrar interesse e importância.

Análise

A fase de encantamento também envolve a análise de números, campanhas, SEO do site e outros tópicos.

Assim, é possível entender em qual momento aquele lead se tornou um cliente e quais foram os pontos fracos e fortes do Inbound Marketing.   

Como aplicar o Inbound Marketing na minha empresa?

Você pode optar por contratar pessoas internas com as habilidades necessárias, mas a maioria opta por trabalhar com uma equipe que conhece Inbound e tem uma experiência valiosa em fazê-lo com êxito.

Uma empresa de Inbound Marketing lhe dá acesso instantâneo a todas as habilidades que você precisa: SEO, web design, redação, nutrição de leads, conteúdo, estratégia de mídias sociais, engajamento de mídias sociais, análise de lucros e muito mais.   

Se quiser saber mais sobre todos os processos do Inbound Marketing, entre em contato conosco e converse com um de nossos especialistas. Será um prazer atendê-lo!

Fale conosco

#Sucesso

Compartilhe

O que podemos fazer
pelo seu negócio?