MadeMarketing

MadeMarketing

Leitura: 6 minutos

Estar no topo do ranking no Google é resultado de muito trabalho e sinônimo de sucesso de qualquer negócio online. Isso porque a primeira página do Google recebe 95% de acesso dos usuários, enquanto o restante recebe de 5% para menos de todo o tráfego total.

Alguns especialistas chegam a brincar falando que o “melhor lugar” para se esconder algo é na segunda página do Google, pois quase ninguém acessa essa página. 

Mas como fazer para conseguir as primeiras posições no ranking do Google? Com as otimizações para os motores de busca, também conhecido como SEO (Search Engine Optimization). Entenda como essas otimizações funcionam e qual o passo a passo para alcançar o topo! 

Leia também: SEO: o que é, como funciona e para que serve?

Como funciona o ranking?

 

avaliando-ranking-no-google

O ranking no google funciona com base na análise do Google Crowler, o “robozinho” do Google

 

Digamos que o Google tem um robozinho, também chamado de Google Crowler, que clica em absolutamente todos os links disponíveis na internet e consegue relacionar com as palavras-chave que os usuários pesquisam. Ele analisa o quanto cada conteúdo é útil e o quanto possui as otimizações que ele julga ser necessário para os usuários. 

Essa análise é por algoritmos. Como se o tal robozinho fosse programado para entender se cada item no seu texto corresponde a cada algoritmo. 

O problema, talvez, está nas mudanças constantes desses algoritmos. O Moz estima que são feitas de 500 a 600 alterações no algoritmo do Google anualmente. Grandes mudanças normalmente são anunciadas, mas no geral, esses algoritmos são mantidos em segredo para o público em geral. 

Tudo o que se sabe é o que tem funcionado até hoje, mesmo precisando de atenção e mudanças frequentes. 

Um exemplo disso era como funcionava o Link Building, uma das estratégias de SEO. Muitos blogs firmaram parcerias para indicar outros blogs no menu lateral da página, indicando uns aos outros e ganhando autoridade. 

Quando o Google percebeu que os sites estavam fazendo esse tipo de ação “proposital”, começou a enviar penalidades a eles, derrubando posições nos resultados de busca e também a autoridade conquistada. 

Isso significa que, para alcançar a primeira página do ranking no Google, é preciso muito trabalho, atualizações constantes e nada de trapaças, pois isso pode prejudicar todo o seu trabalho. É nesse ponto que as estratégias de SEO entram. Confira!  

Leia também: Como desenvolver um projeto todo em SEO em cinco passos

Como o SEO funciona para conseguir ranking no Google?

 

analisando-ranking-no-google

O SEO é uma estratégia de longo prazo que otimiza o conteúdo para que ele apareça no ranking do Google

 

É importantíssimo lembrar que o SEO é uma estratégia de longo prazo. Logo, quando você publica um conteúdo novo, não espere vê-lo rankear e gerar tráfego orgânico no dia seguinte. 

Para isso, é preciso trabalhar uma série de combinações de técnicas de SEO para o Google entender que o seu conteúdo é relevante e merece estar na primeira página. Conheça o passo a passo! 

1° passo: entenda sua posição atual 

Antes de começar a melhorar a sua posição no ranking no Google, entenda onde o seu site se encontra. Para isso, você precisa definir quais palavras-chave devem levar o tráfego ao seu site. 

Por exemplo, se você vende guarda-chuvas amarelos, precisa que quando o usuário pesquise por guarda-chuvas, ou guarda-chuvas amarelos, o seu site apareça para ele. 

Muitas ferramentas podem te ajudar a identificar a sua posição dentro dos resultados de busca, como o SemRush. 

2° passo: configure ferramentas de monitoramento de métricas

Usar o Google Analytics, por exemplo, te ajuda a entender de onde vem o seu tráfego, qual o tempo médio de permanência na página, o volume de rejeição, enfim, diversas métricas necessárias para entender onde seu site pode melhorar. 

3° passo: adaptar seu site para os dispositivos móveis

Você sabia que 60% das buscas são feitas em dispositivos móveis? Isso significa que não adianta nada o seu site funcionar perfeitamente nos computadores, se quando a pessoa abre no smartphone, se depara com um menu quebrado, uma foto gigante e não consegue navegar. 

Além de não passar credibilidade, o usuário fica frustrado e sai do seu site. Por isso, é fundamental dedicar um tempo para adaptar o seu site também para os dispositivos móveis. 

4° passo: corrija os erros atuais

Lembra-se que falamos sobre as penalidades do Google para quem tenta “trapacear” e ganhar posições no ranking no Google? São exatamente esses tipos de erros que você precisa corrigir no seu site. Até porque não adianta aplicar as técnicas de SEO se, por outro lado, os erros permanecem e vão diminuir a sua pontuação. 

Até 2012, qualquer site que apontava os links para o seu conteúdo poderia favorecer seu posicionamento nos resultados de busca. Quando o Google percebeu esse tipo de ação, ele passou a penalizar todos os sites que o faziam. 

Atualmente, os padrões do algoritmo de busca funcionam para garantir que o esquema combinado de links não funcione. Por isso, a linkagem precisa ser feita de forma natural, ou seja, quando você escreve um texto e encontra uma fonte confiável, você acaba linkando o seu texto para essa fonte. O objetivo é que outras empresas façam o mesmo com o seu conteúdo. 

Independentemente do SEO on-page, links ruins são realmente prejudiciais. Use-os e você vai sofrer uma penalidade ao invés de contribuir para sua meta de subir nos rankings no Google. 

Também é importante saber quais links que apontam para o seu site são prejudiciais. Sites com baixa autoridade ou com grandes chances de spam podem prejudicar o seu, por isso eles precisam ser removidos. 

Você pode pedir a remoção manual do link entrando em contato com o dono do site, como também pode usar a ferramenta do Google para rejeitar esses links, o Google Search Console. 

Outros erros muito comuns que precisam de otimização: 
  • Imagem muito grande: imagens muito grandes podem prejudicar o carregamento da página, o que faz com o seu site perca a credibilidade e os usuários desistam de acessar.
  • Velocidade de carregamento: falando em tempo de carregamento, a sua página precisa abrir em até 3 segundos para oferecer uma boa experiência para o usuário. 
  • Títulos e subtítulos: toda página precisa ter um Título H1 para um bom ranqueamento. Os subtítulos também precisam ter H2, H3, entre outros. 
  • Link da URL: os links das URLs também precisam estar bem otimizados. Isso significa que as palavras-chave precisam estar na url, por exemplo, e o link não pode ser muito extenso. 

5° passo: pesquise e analise 

Depois de se livrar de links tóxicos e otimizar alguns erros bem comuns, é hora de entender o que produzir para o seu público. 

Para isso, é preciso fazer uma pesquisa aprofundada do mercado e da concorrência, identificar a sua persona e, claro, identificar e analisar as palavras-chave. 

Entender o volume de pesquisas das palavras-chave relacionadas ao seu negócio pode te ajudar a ter uma noção do que produzir de conteúdo e o que o seu público está procurando em soluções. 

Por exemplo, se a sua empresa tem um produto exclusivo, como fazer para os usuários chegarem até ele? É preciso trabalhar as palavras-chave mais buscadas por esses consumidores para introduzir o seu produto. 

Por isso, entender bem as personas e a jornada de compra delas é fundamental para garantir que os conteúdos que a sua empresa vai oferecer sejam realmente relevantes. 

Ao fazer pesquisa de palavras-chave, não ignore palavras-chave de cauda longa, pois ela representa 80% do tráfego e melhorou as posições no ranking no Google.

6° passo: melhore suas posições 

Depois de pesquisar e analisar bastante o seu público, o mercado, a concorrência e as palavras-chave, é hora de começar a produzir os conteúdos. 

Isso também exige muita pesquisa pois os seus textos não podem ser rasos e superficiais. Quanto mais informação relevante você incluir, mais chances do seu artigo subir no ranking no Google e chegar ao alcance do público, afinal, conteúdo de qualidade pode trazer os melhores resultados. 

Além disso, você precisa otimizar

Links internos e externos: incluir links internos e externos geram maior autoridade para o conteúdo. Receber links úteis também é fundamental, desde que sejam feitos de forma natural e por sites confiáveis. 

Título chamativo: a chamada do seu texto precisa ser bem atrativa e instigar a curiosidade do leitor, assim como garantir que aquele texto trará as soluções e respostas que ele precisa. 

Title tags: elas são parte fundamental para que o SEO funcione. Elas precisam ser descritivas, únicas e fáceis de entender do que a página trata. Exemplo: não salve como “página inicial” ou “página do produto”, cada página deve ter um nome único e contar com o nome da marca. 

Metadescription: Cada página precisa ter sua própria metadescription, que nada mais é do que aquele textinho que aparece logo abaixo do título nos resultados de pesquisa. No geral, eles precisam ter entre 135 a 150 caracteres. 

Fotos: as imagens precisam estar bem otimizadas para não pesarem no carregamento e ter as palavras-chave contidas no alt title. 

Essas e outras otimizações ajudam muito o seu conteúdo a se posicionar no ranking no Google e atingir os primeiros lugares. Os mecanismos de busca analisam cada um desses pontos para garantir que o seu site possua informações relevantes para o seu usuário. 

Para saber mais sobre o marketing digital e suas vertentes, entre em contato conosco. Nosso time de especialistas está pronto para te ajudar!

Compartilhe